31 de dez de 2009

Não é mais um balanço de fim de ano !




Muita gente gosta de fazer um balanço de tudo que passou pelo ano. Situações, empregos, oportunidades, relacionamentos.

Pois bem, eu pensei em fazer isso também, mas como não gosto de ser como os outros, resolvi que não.

O que passou, ao passado pertence, bom ou ruim, aprendemos com ele (é bom aprender senão ele volta até você aprender...).
Há umas duas semanas eu estava bem pra baixo, meio sem vontade de nada, inerte. ia até fazer um post, mas nem isso deu vontade.



Mas Deus, em sua infinita misericórdia e sabedoria, conseguiu neste restinho de ano restabelecer o meu ânimo e a minha alegria, com pequenos detalhes e situações que aos poucos foram me alegrando



Essa noite do dia 30, minha familia fez uma pequena reunião, já que cada um ia comemorar a virada em lugares diferentes. Minha prima organizou a reunião, e em certo ponto, pediu para que cada um compartilhasse com os demais o que agradecia pelo ano de 2009, foi muito bonito, bem emocionante.

Eu obviamente não pude dizer de verdade o que mais agradecia, mas pensei, e isso que importa. Não são necessárias palavras proclamadas para que eu possa agradecer a Deus tudo o que passei nesse ano.



Por isso gostaria de compartilhar nesse espaço algumas das coisas que pensei naquele momento:


- Agradeço por começar e terminar o ano de 2009 com saúde, com amor de meus familiares, sem brigas nem rancor de nenhuma espécie.


- Agradeço pelo meu namorado, pelo amor que compartilhamos e que me deu forças para enfrentar todos os desafios que foram impostos nesse relacionamento (e não foram poucos, hehe)


- Agradeço por todas as pessoas maravilhosas que tive oportunidade de conhecer esse ano, graças ao meu emprego, a esse blog, e outros contatos pela internet. Foi muito bom conhecer cada um de vocês, pessoas com quem pude compartilhar um pouco de mim, e ser eu mesmo. Nunca me senti tão bem !!


- Agradeço a oportunidade de poder ajudar a todos que precisaram e pediram minha ajuda, de todas as formas. Uma das coisas que mais me motivam nessa vida é ajudar os outros, ver que posso contribuir para que todos a minha volta estejam bem.



Acho que num resumo bem concentrado, é isso que tenho a agradecer pelo ano de 2009. Um ano de dificuldades, de paixões, de amigos.

Que venha 2010, não posso prometer nada, posso apenas desejar.
Desejo paz, esperança, amor a todos que lerem esse post !!

Acho que é isso.


Um feliz 2010 a todos !!!



11 de dez de 2009

Ainda tô aqui!

Não, ainda não morri, apesar das chuvas e desabamentos nos últimos dias em São Paulo.

Esse fim de ano tem sido bem cansativo, muito mais que em anos anteriores. Mas sabem né, a tendência é sempre piorar.

Olhando as últimas postagens, que deprimente, só tem lamento, choro...
Isso precisa mudar, ano novo, vida nova, novas atitudes.


Tentarei escrever mais aqui, falar mais de mim, ao invés de aparecer só pra lamentar e desabafar.

Minha meta é voltar a ser assim:


E não está muito longe...


2010 que me espere! =)

2 de dez de 2009

Desculpa

Desculpa se te olho demais, se só olho para você.
É que não há nada que consiga atrair mais minha atenção.

Desculpa se fico muito perto, se te toco demais.
É do seu lado, sentindo meu toque, um dos poucos momentos onde me sinto completo e seguro.

Desculpa se te ligo quando não pode atender.
É só a vontade de saber se você realmente ainda existe ou foi tudo um devaneio maravilhoso.

Desculpa se exijo muita atenção.
Esqueço que eu sou um bobo apaixonado e que as pessoas têm vidas para viver



É que o tempo passa, a distância aumenta, e sozinho não fico bem. Os medos na minha cabeça inventam frases não ditas, situações que nunca existiram, e vou remoendo isso.


E a cada minuto longe, sem texto, sem voz, sem imagem, sem presença, vou ficando mais triste. Chego a ponto de querer jogar tudo pro alto e sumir. Vou ficando amargurado com coisas que nunca aconteceram.



E no auge da angústia, da raiva, um minuto de poucas palavras por celular muda tudo.


Eu sou besta mesmo, desculpa.



27 de nov de 2009

Inconstante

Mudar é bom. Mas mudar o tempo todo é o que? Eu acho que é falta de foco.
E é por isso que estou passando no momento.

Tantas coisas, possibilidades, pessoas, não estou conseguindo meu foco.


Isso tudo começou no começo do mês, quando soube que abriria um concurso para outros cargos na empresa que trabalho. Estou lá como aluno aprendiz, ou seja, também estudo. inclusive parei a faculdade por causa dessa oportunidade, pois é uma empresa que sempre quis trabalhar.

Mas hoje esse curso/estagio nao parece estar satisfazendo tudo o que eu pensava no começo. Por isso já estou participando do concurso. A participação não me prejudica, caso seja aprovado entro como funcionário efetivo e largo o curso.

Mas isso é o que me incomoda. Estar largando algo pelo qual já larguei outra coisa, e assim ficar pulando de galho em galho, sem um foco.

Não sei se é reflexo do cansaço de fim de ano, mas realmente o curso já não me trai como antes. Aliás, muitas coisas estao deixando de ser atraentes.

Ainda tenho 2 meses pra pensar o qeu fazer da vida, enquanto isso, ela vai seguindo...

6 de nov de 2009

Consideração

Só uma historinha levemente inspirada em fatos reais, pra coroar o fim dessa semana infernal.


Bruno saiu do trabalho 15:30, estava bem quente, como esteve a semana toda. Ele estava cansado, tudo que queria um banho e uma cama.

Chegou em sua cidade 16:50, e pensou em aproveitar pra ficar um pouco com o namorado Jorge.

Esperou na estação até 17:20, para poder ligar sem atrapalhar o trabalho de Jorge


Bruno: "Oi mor, tudo bom?
Jorge: "Tudo, to saindo agora"
Bruno: "Você chega aqui quando?"
Jorge: "Acho que por volta de 17:40"
Bruno: "Vamos dar uma volta, nem que seja no shopping?"
Jorge: "Ah mor, tô tão cansado... Vou direto pra casa"
Bruno: "Ah, tá bom... Também ja vou então. Beijão mor!"
Jorge: "Beijão mor! Te ligo mais tarde!"



Naquela noite, Bruno estava no computador, terminando um relatório, e toca o celular. Era Jorge.

Bruno: "Oi mor"
Jorge: "Oi. Tá fazendo o que ?"
Bruno: "Terminando um relatório"
Jorge: "Adivinha quem eu encontrei aqui no shopping? O Di!"

Nesse momento uma raiva sem fim toma conta de Bruno.

Bruno: "Ah... então você foi no shopping. Não tava cansado?"
Jorge: "Tava, mas liguei pro Di, ele disse que tava no shopping, daí dei uma passada aqui."
Bruno: "Hum... tá."
Jorge: "Vou ficar aqui um tempinho, tomar um café, depois já vou."
Bruno: "Hum" (ruido com a garganta)
Jorge: "Boa sorte com o relatorio."
Bruno: "Tá" (seco)
Jorge: "Tchau mor."
Bruno: "Tchau" (desliga o telefone logo em seguida, com força)


Tirem suas próprias conclusões...







2 de nov de 2009

Sozinho na multidão

Faz um tempo que não apareço aqui hein... Nossa tem até poeira...


Bom, como de costume, eu venho aqui falar mais de problemas do que felicidades.

Apesar de não estar enfrentando nenhum problema em minha vida pessoal e profissional, eu não estou muito bem.



Tenho feito o máximo para poder estar com todos que gosto, tentar aproveitar o tempo com amigos, estar mais com a minha família, mas não parece dar certo. Parece que uma força me puxa longe, me mantendo fechado no quarto isolado.


Nas últimas semanas o contato com meu namorado foi bem pouco, chegando a até 15 dias sem nos vermos. Isso me deixou bastante frustrado, mas enfim pudemos ficar juntos esse fim de semana. Apesar disso, não me senti completo ainda, por mais carinhoso e preocupado que ele tenha sido. Não o problema não é com ele, nem nós.

Parece que é de mim mesmo que sinto falta. Olho no espelho e procuro alguém que não parece mais habitar esse corpo, ou que está longe, escondido.
Como faço pra conseguir me encontrar de novo ?


Esses dias tudo tem estado tão cinza, apesar dos belos dias de sol. Não consigo ver muitos motivos, estou sem metas, só vou seguindo o fluxo dos dias.

E pra coroar, um resfriado em pleno feriado ensolarado.


Pesquisando imagens para esse post, me deparei com essa frase:

"O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença."
Luís Fernando Veríssimo



Como mudar a maneira como encaramos a vida?
É a pergunta da semana...



6 de out de 2009

O segredo?

As coisas não têm mais sido as mesmas
desde que você apareceu em minha vida.
Você achou um jeito de tocar a minha alma,
e jamais quero deixar isso desaparecer.

"A felicidade está nas suas próprias mãos"
Levei muito tempo para entender como era isso
Até você partilhar o seu segredo comigo.

Você me trouxe o paraíso que pensei jamais conhecer
Voce me ajudou a me entender, me surpreendeu que também tenha me entendido.
Você sempre soube aquilo que eu nunca disse
Até aprender a amar a mim mesmo, não poderia jamais amar outra pessoa.


"A felicidade está nas suas próprias mãos"
Levei muito tempo para entender como era isso
Até você partilhar o seu segredo comigo.



Letra de Secret - Madonna, numa tradução livre minha, com algumas alterações.




O segredo ???
Não sei qual é, mas sei que está em mim, e não deixarei se perder.

2 de out de 2009

É çangui!


Alguns dias atrás, ohando no painel de informações da escola, vi um aviso pedindo para quem pudesse, doar sangue em nome do pai de um professor da escola, que passaria por uma cirurgia.

Acabei combinando com alguns amigos de ir no fim de semana.

Hoje de manhã, apenas 30 minutos depois de chegar na escola fui dispensado, pois a aula seria com esse professor que estava cuidando dos assuntos envolvendo a cirurgia do pai.
Voltei pra estação, rumo de casa, mas na estação encontrei um colega que disse que ia aproveitar e já ir no hospital. resolvi ir também, afinal eu não faria mais nada no dia mesmo.

Antes resolvemos tomar um café reforçado, ninguém queria voltar carregado pra casa.

Nunca doei sangue, no máximo fiz exames e tomei soro. Fui o último a ser chamado. Eu estava bem tranqüilo quanto à agulha e tal, a unica coisa que me deixava apreensivo era a triagem, pois já vi noticias que em outros paises homossexuais eram rejeitados na doação de sangue (absurdo, de fato), e eu não pretendia mentir de maneira alguma.

Comecei a responder tudo conforme a atendente me perguntava, uma série de "não's" seguidos. Perguntou se tinha namoradA, que entendi apenas como namoro, e respondi que sim.
Depois quando perguntou sobre relações com pessoas do mesmo sexo, me toquei e corrigi:
"Meu namoradO, perdão".

Imaginei que ela faria alguma cara meio torta, mas não, seguiu normal, educada como até então. Não sei porque esperei uma reação ruim, deve ser apreensão só.

Depois de alguns outros "não's", segui para a sala de coleta.
Preferi não olhar para o kit de coleta, pra não ter risco de querer fugir.

Na hora de colocar a agulha olhei pro ar condicionado. Não vou mentir, doeu bastante. Mas foi só na hora mesmo, em menos de um minuto já não sentia nenhuma dor. Nesse momento decidi olhar para a agulha. Parecia um prego !!

Continuei lá por 10 minutos, apertando uma bolinha, e depois tive direito a um lanche com suco, uma maçã, misto frio, bolachas e danone!


Passei o resto do dia bem, não me senti mal, nada. A lém da sensação boa de estar ajudando alguem, mesmo que fosse desconhecido.



Por isso vou aproveitar a oportunidade e ajudar a divulgar a campanha:




Para maiores informações, duvidas e endereços de postos de coleta, consulte: http://www.prosangue.sp.gov.br/

28 de set de 2009

Gossip Boys


Chegou o dia que eu já esperava que viria, mas também esperava que nunca viesse.

Hoje, no lugar que trabalho/estudo (um dia explico essa minha condição), chegou ao meu conhecimento algo que eu já imaginava que aconteceria, mas tentava ainda manter fé nas pessoas. Em vão.

Desde o começo desse ano eu comecei a não ter mais medo em assumir minha sexualidade, nem ficar fazendo papel de machinho, etc, ser quem eu sou mesmo. Eu sei de todas as adversidades que isso traz, mas se não posso ser feliz sendo quem eu sou, não serei feliz de nenhum outro jeito.

Então num certo dia, estava eu com colegas, conversas, brincadeiras, etc, todos colegas próximos, que eu tenho uma boa convivência.
Em algum ponto surgiu alguma brincadeira e alguém me disse:

"Ah, porque você é gay mesmo."

Eu já estava esperando alguma oportunidade como essa pra revelar e falei mesmo "Sou, mas e daí?"
Alguns continuaram encarando isso na brincadeira, mas outro perguntou sério e eu confirmei mais serio ainda. Se desculpou por alguma brincadeira que tivera feito, eu nem ligo pra isso. Perguntou se precisava guardar segredo disso, e eu apenas falei:
"Não, não tenho vergonha. Nada mudou em mim desde 10 minutos atrás, e não mudará. A única coisa que eu peço é respeito como todo mundo, e que eu fique sabendo até onde a história está chegando"

Naquela mesma tarde outra pessoa (de uma certa má fama) ja sabia de segunda mão...


...

Um tempo depois, atraves de uma amiga, soube que muita gente estava sabendo por 3ª, 4ª, 20ª mão. Não gostei, mas é o preço que se paga. Até aí eu não fiquei bravo, apenas não gostei da situação. Até o dia de hoje.

O tal cara 'de má fama' veio falar comigo e uma amiga sobre o modo como tratamos ele, com as brincadeiras, que não respeitavamos, e tal. As mesmas brincadeiras que todo o resto da turma também faz, mas ele só falou conosco...

Minha amiga respondeu bem cinicamente, citando outras coisas que ele já fez, e falando: "Se quer respeito, se dê ao respeito!"
Depois ele falou só comigo pra saber se eu estava bravo por causa da história ter se espalhado e tal..



[nota mental]
Nessas horas eu me odeio. Tenho tanta coisa pra falar mas não consigo, sou bonzinho e ofereço a outra face. Idiota.
[/nota mental]



Eu disse que não gostei, não fiquei sabendo quem eram, como havia pedido, mas até então não tinha sido desrespeitado.

Aí ele disse que se espalhou rápido porque "alguem que ele não ia falar" reuniu um pessoal apenas pra comunicar que eu era gay.
Nessa hora eu me desestabilizei totalmente, mas não transpareci.

O resto do meu dia foi pensando nisso e em tentar achar o filho da puta que tinha tanta urgência em comunicar o resto da empresa sobre minha orientação sexual.

E agora nem consigo mais olhar na cara de certas pessoas (deveria ser o contrário, né?), até descobrir quem foi o "Leão Lobo" daqueles e puxar de lado pra uma conversinha nada amigável sobre respeito e ética.



Enfim, isso é um desabafo, como sempre. Esperava que acontecesse, mas não dessa forma.



Oh baby please
Give a little respect
To me

26 de set de 2009

Fast Forward


Essa sexta-feira me dei mal em uma prova, por falta de estudo. Foram 3 horas de desespero confundindo as matérias e no final um pensamento só: "Como sou idiota!". idiota mesmo, pois burro sei que não sou.

Um tempo depois pensando em mil coisas e ainda bravo comigo mesmo comecei a me perguntar porque não consigo sentar e pegar um livro pra estudar, fazer algum exercício. É a minha vontade louca de fazer tudo e não conseguir fazer nada.

Eu percebi que não vivo mais no presente. Eu estou vivendo no futuro, pensando em coisas que não tem a menor importância até daqui 5 minutos, uma hora, um dia, 5 meses, 10 anos...
Muito tempo pensando no que fazer e pouco fazendo, e a vida passando ali ao lado.

A última postagem antes dessa foi há mais de 15 dias, e desde lá sempre penso em algo pra escrever, mas quando sento no computador, começo a fazer mil coisas inúteis, algumas poucas importantes, e o resto fica de lado.


Eu não entendo porque para mim é tão difícil mudar isso, não entendo mesmo.
Parece até que estou preso no meu próprio corpo, dentro de uma máquina que faz as mesmas coisas todos os dias sem nem pensar mais, sem sentir.
Não consigo mais nem pensar no que eu quero. No que eu quero pra vida, pra ser feliz, pra comer, assistir, ouvir.
Não sei se isso é fase, se é frescura, se é medo de enfrentar mais a vida, mas seja lá o que for, tem que parar, não dá mais.

10 de set de 2009

Sex and the City 2 + Madonna

Gente, nunca fui de assistir Sex and the City, nem vi o primeiro filme, mas to postando isso só pra colocar essas imagens que achei demais.


Carrie em um figurino inspirado em Madonna nos anos 80 (aparentemente o filme tem cenas de flashback das meninas)






fotos retiradas daqui


Comparem com o clipe de Into the Groove




Asheilusho !!!

6 de set de 2009

Dia do sexo


Descobri a poucos minutos que hoje, 6/9/2009 é considerado dia do sexo !!

Não é nada oficial, e foi criado por uma fabricante de camisinhas ano passado, mas não deixa de ser uma desculpa para "comemorar" né ??


Eu já fiz a minha parte hoje, e para inspirar que ainda não comemorou, vai um remix de algumas musiquitchas da Tia.



5 de set de 2009

Mono Saturday

Hoje o dia não tá rendendo.
Acordei 13h, meus pais viajaram, meu irmão fica no computador ou na casa do vizinho.

Hoje estou com uma sensação como se estivesse esperando algo. Esperando alguem chegar, esperando uma ligação. Mas não há nada para esperar.

Coloquei musicas na playlist, ouvi todas. Limpei meu quarto (só faziam 6 meses desde a ultima vez..)

Ainda falta alguma coisa.


Baixei episodios de Queer af Folk, assiti dois. Mas a sensação permanece, preciso fazer algo mas não sei o que é, não é algo que precisa ser feito, eu só preciso me ocupar

O que falta ?
Não, não é falta de sexo, nem de carinho, nem de namorado.
Sei lá o que é, só sei que está me incomodando.

Aqui deitado na cama escrevendo isso e me envenenando com leite condensado.
Ainda bem que é feriado prolongado...


-----------------------------------


Não poderia terminar o post sem agradecer o convite e companhia de todos que estiveram ontem. Amei e espero que possamos repetir muito mais vezes!!!!

31 de ago de 2009

Um ano

Hoje completamos um ano. Há exatos 365 dias, começamos algo. Começou com ma conversa de MSN, um convite, um jantar, motel.
Soube mais tarde que você só queria me comer. Mas não foi o que aconteceu.

Seria minha primeira vez, pra você seria apenas mais uma. Mas acabou sendo algo que nenhum de nós esperava.

Naquela noite algo diferente começou, para mim e para você também.
Muitas noites se seguiram depois daquela, muitos dias, manhãs e tardes.
Jantares, almoços, passeios, baladas.

Desde a primeira noite você cuidou de mim, mesmo sem nos conhecermos. Você me ajudou nos meus momentos dificeis, nos meus medos bobos, ajudou a me entender e me aceitar como eu sou. Me fez sentir completo.

E mal sabia eu que depois seria minha vez de cuidar de você, de te ajudar. Isso ainda está em processo


EU TE AMO!!


Esse tem sido o ano mais intenso da minha vida, o ano que mais fui feliz, que sofri, que pude viver plenamente. Eu agradeço tudo isso a você. Ao seu amor.

Sei muito bem dos problemas todos que você tem enfrentado, sei que não é fácil, não vai passar rápido, vai ser bem difícil sim.
Mas eu estou do seu lado a cada minuto. Sou apenas humano. Mas to tentando o melhor que posso.


You gave me back the paradise
that I thought I lost for good
You help me find the reasons why
it took me by surprise that you understood

22 de ago de 2009

Who's that boy ?

Estava eu aproveitando que o sinal dos canais Telecine estava "de gratis" essa semana e assisti "Eu, meu irmão e nossa namorada" (Dan in real life), um filme com o Steve Carell, comedinha romantica, até legal.

Steve Carell é o tal Dan, que se apaixona por Marie (Juliette Binoche), uma mulher que conhece numa livraria, e pouco tempo depois descobre que ela é namorada do seu irmão.

Eis que depois aparece o irmão, Mitch. É aí que eu parei de prestar atenção na história do filme..

Dan, Marie e... Mitch!


Pára tudo!!! Who's that boy ????

Na mesma hora corri e pergunte ao oráculo Google quem era o tal, e descobri: Dane Cook (quem??)

Também nunca tinha ouvido falar dele, mas já fui descobrindo que era ator, cantor e comediante stand-up. Além de obviamente lindooo!

Fui atrás de algumas fotitos pra saber mais. Entrou pra minha lista de paixonites cinematográficas!


Aqui algumas das imagens do gato. Cliquem para ver em um tamanho um pouco maior.




Babei!...


.............................................


Pra não ficar um post totalmente fútil, vai aqui também um clipe muito legal do Coldplay, totalmente feito em stopmotion (quadro-a-quadro).
Eu já tive que trabalhar com coisas assim, é muuuuito dificil demoraro e complicado, por isso fico admirado com qualquer vídeo feito com essa técnica.

Ah, além da música ser legalzinha também né.

Colplay - Strawberry Swing



18 de ago de 2009

Saudade e falta

Antes de escrever muito, vou primeiro definir segundo a minha visão:

"Saudade" é quando se sente falta de algo que já teve, normalmente algo bom. Agora "falta" é quando algo que deveria estar ali não está, e você percebe mesmo que nunca tenha tido ou sentido antes.
Parece difícil separar essas duas palavras, pois de certo mudo são a mesma coisa, mas atualmente eu sinto saudade de coisas que ja tive, e sinto falta de coisas que não sei ao certo se um dia existiram, por isso a separação.


Estou a alguns dias de completar um ano de namoro. Meu primeiro namoro, que apesar de não ter data certa de começo, (entre fins de Agosto e começo de Setembro), ficou definido como 1º de Setembro, data do primeiro encontro de verdade.


Nesses doze meses vivi extremos de alegria, tristeza, raiva, paixão.
Trago comigo muitas coisas boas: sensações desconhecidas, o toque de outras pessoa, outro homem, afeto, carinho, prazer. Mas também feridas, algumas cicatrizadas, outras ainda doendo, brigas, noites de choro no travesseiro... e uma alergia. "Alergia emocional" como eu defino, hehehe.
Aquela coisa que vem e volta, e incomoda, mas você não sabe a causa, e te deixa mal por um tempo.

Minha emoções oscilam mais que luz em barraco 'gateado' de favela.

Voltando à falta e a saudade, sinto saudades dos tempos do começo de namora, quando ele me conquistava todo dia, quando existia muito mais carinho, quando sempre dizia que eu estava bonito, elogiava meus olhos (convencido eu? magina!).
Hoje isso é tão raro... Tudo vai na brincadeira, brincadeira essa que por vezes me irrita, eu quero ouvir elogio de verdade porrA! Não quero sarcasmos para desvendar, quero ouvir o que me agrada.
Parece que agora ele leva as coisas como garantido, como se não fosse mais preciso elogiar, fazer carinho só o mínimo possível ( Só na hora que quer sexo...), ligar de vez em quando, ou nem ligar. Mas acho que o maior problema ainda é a falta da palavra desculpe, muito pouco dita por ele, pra não dizer quase nunca

Eu tentei a tática do "faça o que eu faço" comecei a dar o mesmo tratamento, sem muitos elogios, sem muitos carinhos, poucas ligações. E já fui acusado de chato.


Eu não quero terminar nada, eu amo muito ele ainda, apesar de não receber o mesmo carinho que dou no momento. Na hora de conversar a sério ser taxado de chato por querer falar do que eu sinto, ficar postergando conversas, trocando por conversas vazias sobre assuntos inúteis.

É certo que eu tenho um grande problema de comunicação, é difícil realmente dizer o que eu penso e sinto sem soar rude, mas ao mesmo tempo que eu tenho que ser paciente e compreensivo, o mínimo que espero é o mesmo tratamento na via oposta.

Como num texto que li há pouco no blog Homem, Homossexual e Pai:

Quem ama é paciente e bondoso.
Quem ama não é grosseiro nem egoísta; não fica irritado, nem guarda mágoas.
Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência.


Eu amo! Mas amar demais sem correspondência começa a desgastar o sentimento.
E antes de tudo devo amar a mim mesmo também.


Apenas diga "desculpe".



Para ouvir: James Morrison & Nelly Furtado - Broken Strings


10 de ago de 2009

Personagens desconhecidos

Manhã cedo. No trem, aguardando a última estação, onde desceria.
Fechado no meu mundo ouvindo rádio, mas olhei para o lado.

E lá estava uma mulher, bem vestida, loira, com um terninho preto, um colar prata bem discreto.

Outra mulher a acompanhava, parecia ser sua mãe. Ajeitava o seu terno, abriu um botão, depois o fechou.

Eu não ouvia nada, a música estava mais alta, mas eu nem prestava atenção no que tocava.
Imaginei que ela talvez estivesse ansiosa por uma entrevista de emprego, ou quem sabe o primeiro dia num novo emprego.

E só então eu notei a bengala em sua mão. Percebi que ela era deficiente visual.
Me deu uma vontade imensa de chegar ali e dizer a ela como estava bonita, como o seu cabelo estava bem arrumado, e que o colar era muito bonito.

Mas acho que eu nem precisaria dizer, pela alegria que ela exalava com certeza já deveria saber.

A campainha tocou.

"Estação terminal Luz. A todos um bom dia."



8 de ago de 2009

Fatos da vida

Não é incrível como as coisas simplesmente acontecem de uma vez ??


Estava planejando (pela enésima vez) que esse fim de semana eu finalmente contaria para os meus pais tudo.



19h eu sozinho vadiando no orkut/msn/facebook/etc, ouvindo Madonna, e me tocam a campainha. "Ô cacete, nem posso ouvir musica em paz"

Desci, era o tecnico da NET. Ninguem me avisou que ele vinha. E eu vestindo a calça mais rasgada, larga e manchada da face da Terra (pois em casa eu fico muito pior que mendigo da Sé).
Abri o portão. Infelizmente não era bonito, pena. (ô sorte ducarai..)


Enquanto ele verifica o problema, meus pais chegam. Meu pai quer usar o telefone, mas tá fora do ar (skavurska!)

Aí eu falo que ele pode usar meu celular, que está em cima da mesa. Ele abre o celular, olha por um tempo, depois usa. Pensei que ele estava procurando as teclas (papai não se dá muito bem com tecnologia).

Mas um segundo depois a ficha cai e o desespero toma conta. Lembro que o papel de parede do celular, primeira coisa que se vê ao abrir o celular, é apenas uma fotinho de mim agarrado com meu namorado.

Papa, don't preach...


Primeiro pensamento: "FU-DEU!!"

Desespero total. Acho melhor eu contar logo do que deixar a coisa se prolongar.

Deus me ajude...

2 de ago de 2009

Weekend Update - II




Nada de muito extraordinario, como sempre, mas foi um bom fim de semana.

Fui numa baladinha aqui em Santo André (não fazia ideia que tinha algum lugar gls por aqui, hehe), a convite de uma amiga minha que ia participar de uma apresentação lá.
Achei o lugar meio caído, mas valeu a pena por sair de casa, senão não teria feito nada

Ah, e novamente o namorado quis ficar em casa. Problema dele.

-------

Saiu a versão oficial de "Celebration" da Madonna. Não sou super fã, mas gosto muito.
Agora já tenho a versão oficial e mais dois remixes, pois eu amooo remixes (quando bem feitos).

-------

Falando em música, só hoje vi o novo clipe do U2 (banda que amo de paixão) "I'll Go Crazy If I Don't Go Crazy Tonight", a música não é tão magnífica, mas o clipe é demais !!!!!
Adorei o estilo do desenho, e principalmente a historinha do clipe.

Eu ia colocar aqui mas o Youtube não deixa, então cliquem no link e vejam lá: http://www.youtube.com/watch?v=pmJgdXkAqMU

-------

Agora um pedido pra quem ler: por favor, alguem me ajuda a encontrar a versão em ingles de She Wolf/La loba ???
Juro que tentei mas só achei a versão espanhola (que é bem melhoor, mas gosto de ter as duas)

___
Enfim é isso, só pra não passar o fim de semana sem postar, vai saber quando vou ter tempo de novo...

Ah, antes gostaria de agradecer ao SAM pelo link em uma das ultimas postagens. Vamos fazer uma parceria e patentear a ideia da máscara, hahahaha.

Beijos !!

30 de jul de 2009

Ensopado, mas vivo!

Sobrevivendo a mais uma semana, chuvas incessantes e gripe porcina.


Se chover mais vou começar a trabalhar de canoa !!!

Desde o começo da semana só chove quando eu não tenho escapatória, pois quando o guarda chuva está na mão não cai uma gota.


E pegando trem/metro/onibus/bicicleta/balsa pra trabalhar ainda tenho que me deparar com pessoas neuróticas usando máscaras de cirurgião pra se proteger da gripe.

Alôuuu gente!!!!! Esse pedacinho de pano não vai salvar a sua vida, parem de ser ridículos !!!!



Se bem que conversando hoje com meus colegas, vimos uma excelente utilidade dessas máscaras:

Imagine você caro leitor proletário cidadão de uma metrópole hiperpopulosa, indo trabalhar de transporte coletivo, apertado, de cara no sovaco de outro cidadão. está cansado dessa situação ??

Seus problemas acabaram!



Usando essa simples máscara e um pouco de atuação, voce pode ter seu espaço pessoal de volta !
Basta usar a máscara, e de vez em quando dar uns espirros, fingir uma febre, e pronto, você já terá seu metro quadrado privativo em qualquer ônibus ou trem!!!

Tem coisas que só a paranóia coletiva faz por você!



OK, deixa eu ir logo. Beijos mascarados para vocês!

19 de jul de 2009

Weekend Update - I


(without Tina Fey, Amy Poehler ou Seth Meyers)



Depois de discussões, algumas brigas, orações e uma conversa séria, a paz está voltando ao meu relacionamento, thank God!!

----

Meu pai finalmente vai renovar a carteirinha do SESC, vou poder começar a nadar de noite, depois do trabalho.

----

Minha mãe comprou uma garrafa de Smirnoff Ice e dividiu comigo!!! Ela nunca dividiu, nem ofereceu nenhum tipo de bebida alcoólica a mim.

Sim mamãe, seu filhinho tá crescido, que bom que já entendeu, hehehe!

----

Finalmente consegui comprar uma mochila decente onde possa levar o notebook, e que eu pudesse pagar um peço de acordo com a minha realidade. Vamos ver se essa consegue durar mais de um ano...

----

Nada de muito extraordinário, mas eu precisava postar algo.

17 de jul de 2009

Me escute

To numa fase ruim gente, desculpe pelos próximos posts meio sem sentido.

---

U2 - Sometimes you can't make it on your own
(As vezes você não pode fazer isso sozinho)

Tough, you think you've got the stuff
You're telling me and anyone
You're hard enough

You don't have to put up a fight
You don't have to always be right
Let me take some of the punches
For you tonight

Listen to me now
I need to let you know
You don't have to go it alone


And it's you when I look in the mirror
And it's you when I pick up the phone
Sometimes you can't make it on your own

We fight all the time
You and I... that's alright
We're the same soul
I don't need... I don't need to hear you say
That if we weren't so alike
You'd like me a whole lot more

Listen to me now
I need to let you know
You don't have to go it alone

And it's you when I look in the mirror
And it's you when I pick up the phone
Sometimes you can't make it on your own

I know that we don't talk
I'm sick of it all
Can you hear me when I sing
You're the reason I sing
You're the reason why the opera is in me...

Where are we now?
I've got to let you know
A house still doesn't make a home
Don't leave me here alone...

And it's you when I look in the mirror
And it's you that makes it hard to let go
Sometimes you can't make it on your own
Sometimes you can't make it
The best you can do is to fake it
Sometimes you can't make it on your own


-----------------------------------

Partes destacadas em português:


Me ouça agora
Preciso que você saiba
Você não tem que suportar isso sozinho


As vezes você não pode fazer isso sozinho
As vezes você não pode fazer isso
O melhor que você pode fazer é fingir
As vezes você não pode fazer isso sozinho
------------------

Eu estou aqui, por favor, não se esqueça.

16 de jul de 2009

Carência sucks

É chato quando você descobre em si algo que não gosta.

Tenho confirmado esses dias que eu sou carente por demais, o que é uma merda.
Posso estar puto com meu namorado, mas alguns dias sem estar com ele já me fazem esquecer tudo quando o reencontro.

Isso me impede de falar de coisas importantes, que vão acumulando e podem ter um efeito muito ruim depois.

E uma dúvida tem me incomodado esses dias: como saber equilibrar a vontade dos dois?


Desde o começo, e agora por problemas recentes, eu tenho feito quase sempre o que ele quer, no caso de sair, e atividades em geral, e a minha vontade fica de lado.
Como equilibrar isso, e como dizer isso sem soar rude ou ingrato de certa forma, é uma grande dúvida minha, com certeza o grande desafio para se viver a dois.

Eu quero te ajudar, mas você precisa deixar.
Não sou só eu, nem só você, somos nós.

9 de jul de 2009

Lua


Desde que me entendo por gente, eu sempre fui apaixonado pela lua.
Aquele círculo brilhante que vejo nas noites claras, que ilumina com uma luz fria e bela.

Adoro ver como ainda de manhã, com o sol já nascendo ela ainda continua ali, às vezes visível, no bastidor, espiando o espetáculo do sol, e humildemente tomando o seu lugar ao cair da noite.

Digo humildemente pois sabe que não possui luz própria, mas consegue refletir a luz que ainda recebe do sol de maneira esplêndida.

Como ela vai aos poucos se escondendo por trás da terra, minguando, e depois ressurgindo, até ficar completa, cheia.


Eu fico besta de ver a lua cheia. Apesar de morar cercado por prédios e casas coladas, uma fresta de luar consegue entrar no meu quarto de vez em quando.

Só de ver a luz sobre a minha cama já me estico e torço o pescoço na janela para vê-la.
E logo depois desço correndo para o quintal, querendo sentir toda aquela luz.
E me coloco a gastar alguns minutos ali, admirando.


Algumas músicas inspiradas pela bela lua:
  • Blue Moon
  • A lua que eu te dei
  • Hoje a noite não tem luar
  • Fly me to the moon
  • Lua de cristal (heheh, quem nunca ouviu?)

6 de jul de 2009

Eu trabalho, e você?

"Se você não trabalha então não me atrapalha!"

Deveria fazer uma camiseta com essa frase pra ver se algumas pessoas conseguem se tocar nessa vida...

É incrivel, quando você mais quer/precisa trabalhar, quando você mais trabalha, sempre tem um folgado no mesmo setor, que não faz nada, acha que sabe tudo e só fica pentelhando, dizendo o que tem que ser feito, te corrigindo(atrapalhando).

E o desgraçado ainda leva o mérito junto com você.

Hoje eu me estressei e na terceira vez que um desses veio me amolar, dizendo como fazer meu serviço melhor, sem nem saber o que estava sendo feito, já mandei em alto e bom som:
"Cala a boca e faz! Se não faz, sai daqui!"

Eu fico puto !!!

Mais umas duas horas e ficariam alguns corpos caídos por ali...

3 de jul de 2009

Tento entender


Entre ontem e hoje aconteceu muita coisa na minha vida, ou melhor, uma coisa, que vale por muitas, tamanha é a complexidade de entender o porque.

Provavelmente foi a coisa que mais me fez refletir nos ultimos tempos, que me fez derramar algumas lágrimas, coisa que há meses não fazia.

Uma pessoa muito próxima de mim quase deixou esse mundo.

Eu ainda estou tentando entender, se é que um dia conseguirei, o que leva uma pessoa a ingerir 15 cápsulas de calmante, sem nenhum motivo aparente. Alguém com quem poucos dias antes passei ótimos momentos, rindo, divertindo.

Falei com ele ontem, me pareceu estranho, um pouco quieto demais.

- Só liguei pra dizer que eu te amo. - me disse.

Mais tarde eu liguei pra desejar boa noite, e praticamente disse apenas: "Ok, boa noite".

No dia seguinte ligo de tarde. Estava no hospital, tomando soro pra diluir o remédio.
E tratava do assunto como se tivesse sido apenas um porre de bebida.


É algo que ainda me deixa chocado. Dá pra entender ?


update:

Somente agora a noite eu consegui chorar de verdade e extravasar, colocar alguns pensamentos no lugar. Ainda não entendo, e acredito que não vou entender, mas agora é preciso focar em ajuda-lo de todas as formas que conseguir, torcendo e pedindo a Deus.


update II:

Depois de muitas lagrimas e choro contido, hoje recebi a ligação. Ele já está bem, em casa. Vamos ter que conversar serio sobre isso, mas não imediatamente.

29 de jun de 2009

Mentirinhas

Desde pequeno eu sempre menti. Fosse pra me safar de ter quebrado o conjunto de copos da minha mãe, ou então pra não magoar algum amigo.
Houve uma época que mentiras eram algo muito comum na minha vida, pelos motivos mais bobos, eram mentiras sem propósito, e (eu imagino) não machucavam ninguém.


A partir disso eu acabei criando o pior tipo de costume: mentir pra mim mesmo. Negar, desviar pensamentos, saber o que era certo e ainda assim não fazer. “Mentir para si mesmo é a pior mentira”, já dizia a música.

Até essa época eu me escondia dentro de mim mesmo, o lado exterior era sempre lindo, era tudo o que os outros esperavam e aceitavam. As coisas que eu gostava mas não eram bem aceitas, ficavam escondidas, recolhido a ouvir tal música no canto do meu quarto, assistir aquele programa quando não tivesse mais ninguém perto.

E assim levei a vida por um tempo, até que tomei a consciência de que estava vivendo em função dos outros. Coincidentemente (ou não) foi a época em que eu me aceitei (ainda que não totalmente). Passei a ser mais sincero comigo e com o mundo, e a vida ficou muito melhor.

Tempos depois conheci o Rafa, ele me descobriu, eu descobri ele, e cá estamos (história para outros posts...). Foi quando eu me aceitei completamente, e a vida não poderia estar melhor.

Mas por trás disso, tem algo que me magoa muito. Para conseguir sair e me divertir com ele, voltei à vida de mentiras. Saídas com “amigos”, “baladas”, “perder o último trem”, dormir na casa de “amigos”.
Ter que fazer praticamente um truque de mágica para sair de casa sem ser visto com aquela jaqueta linda que ele me deu, pois não tenho como explicar de onde ganhei.

São pequenas coisas que vão se amontoando e eu me afundo cada vez mais.
Mas sinto que essa represa vai desabar em tempo não muito longo.


21 de jun de 2009

A seleção de volei...

Esse sábado eu babei bastante de manhã...
Foi jogo da seleção masculina de volei, que eu adoroooooo!!



Fui começar a gostar de volei quando os vi pela primeira vez por volta de 2002 (eu acho), e me apaixonei pela seleção masculina, claro. Como não amá-los ?
Além de serem lindos, gostosos, simpáticos, os caras ainda são fodas!! Ganham quase todas.
Prefiro mil vezes mais assistir um jogo de volei do que de futebol.

Além disso, ô esporte pra ter homem gostoso hein...
Não sei se assisto mais pelo jogo ou pelos jogadores, mas seja qual dos dois for, fico satisfeito, afinal além de belos eles jogam muito.

Entre tantos é dificil escolher um, por isso não vou escolher, hehe.
Fico entre Giba, André Nascimento(versão com barba), Dante e Murilo.


Quem não gostaria de participar dessa comemoração ?



E você que está lendo, também baba por algum jogador de volei?


10 de jun de 2009

Renovação

Depois da depressão de ontem, hoje o dia foi completamente diferente, e incrivelmente mais produtivo do que nunca.
Muitos detalhes que não tenho tempo de escrever no momento, pois sou proletario e acordo 5 da matina.

9 de jun de 2009

Decepção

Ao longo de nossa vida, conforme vamos crescendo, a inocência some aos poucos, nos revelando a verdade sobre muitas coisas, e cada vez mais nos decepcionamos ao comparar a imagem idealizada que tinhamos de algo ou alguém, com sua imagem real, agora vista pelos olhos contaminados pela maturidade.

É um sentimento muito ruim a decepção, quando por exemplo o seu herói faz algo totalmente errado, quando a instituição em que você mais acreditava diz que você não é mais bem vindo.


Mas isso é a decepção com o coisas externas. É ruim mas existe outra onda pior: a decepção consigo mesmo. Beira o ridículo, de tão ilógico que pode paracer, afinal ninguem sabe mais sobre nós do que nós mesmos.
É depressivo ver que você teve tudo, todas as chances, oportunidades, capacidade, ferramentas, e não conseguiu fazer aquilo que você sabe que é capaz. Dá vontade de sair do proprio corpo e bater em si mesmo, e gritar:
"Seu filha da puta !!! Você pode, você teve tudo e não fez!!! Burro!! Trouxa!!"

é um sentimento quase indescritivel, uma repulsa por si mesmo, "autodecepção".

Espero um dia conseguir me livrar desse ser que eu me tornei.

2 de jun de 2009

Friiiiio

O que foi essa virada de tempo em São Paulo ?
Em menos de 24 horas consegui um resfriado que se transformou em sinusite nas 24 horas seguintes.

Nesse momento eu renego minhas origens italianas e digo que odeio e não suporto de maneira alguma clima frio !!!

Prefiro torrar no sol do Saara do que ter que sair com 5kg de roupas pra ir trabalhar.
Prefiro rolar na cama numa noite abafada, do que me encolher em baixo de duas cobertas e um edredom.

Só existem 2 situçãoes onde o frio é bom:

- quando você está em casa, debaixo de cobertas, vendo um filminho, ou comendo um fondue (quem pode pode, né?), uma sopinha, etc.

- Quando você está na cama com aquela pessoa especial juntinho de você


De resto, nada de frio!!!

21 de mai de 2009

Uma noite pra pensar

Saí rápido da faculdade. No dia seguinte teria uma prova de matematica e um texto para entregar no outro curso.
22:40, ponto de ônibus cheio, ja imagino o pior, pegaria o onibus no meio dos desesperados, isso se conseguisse entrar.
A sorte sorriu e em 5 minutos o ônibus veio, vazio. Sentei e o onibus acabou partindo com lugares vazios. No ponto seguinte, outra faculdade, encheu.
Liguei meu MP3 e fui numa boa, quando toca o celular. Era o Rafa, antes eu tinha ligado e ele estava meio atrapalhado no serviço. Eu pedi desculpas, ele nem ficou bravo. E enquanto estou entretido na conversa percebo que as pessoas começaram a descer do ônibus. "Quebrou, PQP!!!"
Expliquei pro Rafa, e falei que ligaria pra ele depois, ia ligar pra casa e ve se alguem poderia me buscar, pois não ia querer me apertar mais ainda em outro microônibus já cheio.
Celular do pai, da mãe, do irmão, telefone de casa. Nada.

Nesse momento me bateu uma angústia. Provavelmente estariam todos dormindo já.
Acordando 5 da manhã, indo do trabalho direto pra faculdade, chegando em casa por volta de meia-noite, era raro ver alguem. De vez em quando meu irmão, quando eu passava em casa antes da faculdade se tivesse tempo.
Nesse momento pensei que se algo mais grave acontecesse comigo, talvez demoraria um pouco até notarem. Me senti um nada na hora. Mas logo percebi que isso é algo que aconteceria mais cedo ou mais tarde. Eu tenho a minha vida, sei cuidar de mim mesmo, é natural que aos poucos esteja menos conectado com a família.

E fui pensando nisso enquanto resolvi andar até em casa, pois não eram mais que 2km.
Enquanto andava, o caminho não podia ser mais apropriado. Um lado do meu bairro pelo qual há muito tempo não passava, onde fiz pré-escola e fundamental.
A pré-escola ainda estava lá, na mesma casa com mesmo nome, mas um pouco diferente, ampliada. Fui lembrando de coisa que há muito não pensava, momentos da minha infância. É muito dificil pra mim lembra, não por algum trauma, mas eu simplesmente não lembro muito das coisas antes dos 7 anos de idade. E ali fui lembrando, passando pela rua que tanto andei quando pequeno.



Muita coisa diferente, dois prédios que não existiam, casas ampliadas, derrubadas, reconstruídas.
Uma das casas eu reconhecia, era onde morava a Luma, uma colega da pré-escola, talvez a minha primeira "namoradinha", heheheh. Ah se ela soubesse de mim hoje...

Tanta coisa diferente, eu me sentia um estranho no proprio lugar onde cresci.
Foi uma noite sem nada de mais, mas não sei porque senti que marcou. A vida muda muito. Mas nem por isso é ruim.




"A vida tão simples é boa. Quase sempre."

6 de mai de 2009

Up and Down


Ao longo da semana acabei percebendo que a causa do meu desinteresse na faculdade sou eu mesmo (um tanto óbvio, mas eu sou uma porta mesmo...).
A minha falta de comprometimento, está muito alta, faltei muito, o cansaço de sair da Zona Oeste para o ABC estava falando mais alto quase todos os dias.

Eis que para minha surpresa, esses ultimos dias que me forcei a vir para a faculdade têm sido muito bons! Me interessei muito mais pelo projeto do grupo, prestei atenção nas aulas (nada mais que o obrigatório, mas é um avanço) e está sendo bom. 
Impressionante a capacidade que temos de sair do fundo do poço para o topo das nuvens, num mesmo dia, numa mesma hora, num mesmo segundo (e vice-versa também).

Mas agora eu vou pagar pelos tempos de descaso, trabalhos não entregues e uma prova perdida. Será que conseguirei ? Tento sempre acreditar no melhor apesar do meu pessimismo crônico.
Já vi gente terminar o curso com muito menos do que eu tenho, mas como eu sou bolsista o mínimo é o máximo que esses outros tentam alcançar.

Eu tenho a filosofia de sempre tentar seguir o melhor, e não me comparar ao pior aceitável, pois eu sei da minha caacidade, ja consegui muita coisa que outros apenas sonham, consegui um emprego publico aos 19 anos, me formei em escola técnica, consegui bolsa integral em uma faculdade de bem reconhecida.
Eu consegui isso e posso conseguir muito mais, eu sei disso. Preciso para de me apegar a desculpas, desculpas que eu sei que são absolutamente falsas, mas que me deixo acreditar.
Ainda bem que Deus é infinitamente bom e colocou em minha vida só pessoas maravilhosas que acreditam nesse meu potenciam e sempre estão me empurando pra frente, mesmo que seja no tapa.

Mas logo voltam os pensamentos negativos, a vontade de parar e me dedicar a uma coisa só por vez. E vivo nessa montnha russa, pra cima e pra baixo, sempre tentando buscar o melhor das duas vidas: eletrônica e mídia digital, e conciliar com namoro, e com a familia que nem sabe do namoro, e também não sabe do namorado, e nem sabe que sou gay...


Enfim, esse foi mais um desabafo de auto ajuda, nada de útil a aproveitar para quem lê, hehehe. Valeria até uma tag "auto-ajuda" ou "análise".

Mas o blog é meu e eu faço o que eu quiser mesmo. =P

29 de abr de 2009

Problemas irrelevantes

Problemas, problemas, problemas...

Todo mundo tem seus problemas, por menores ou maiores que sejam. Eu tenho uma certa dificuldade em fa
lar d problemas, pois sempre acho que os meus problemas são irrelevantes frente a outros problemas que muitas pessoas passam. E aí entram os pensamentos humanistas, da fome na Somália, os refugiados de guerras do Oriente Médio, et-al


Mas como eu percebi hoje que esse espaço é meu e só meu, penso em escrever aqui mesmo todos problemas irrelevantes da minha fútil existência mundana.

Como por exemplo o fato de eu não aguentar mai
s ir pra faculdade, acordando 4:40 da matina pra ir trabalhar e ainda ter que ficar na faculdade até as 23h, com poucas horas pra dormir.
Além disso o curso não esta me agradando muito, a cada semestre mudam o conteúdo programático e nenhuma turma se forma como a outra (e o curso ainda não tem o reconhecimento devido do MEC).


O curso/trabalho que faço durante o dia (Eletroeletrônica) está muito melhor, além de efetivamente estar me pagando alguma coisa (mesmo q
ue seja um salário mínimo....)



Penso em parar a faculdade no fim desse semestre, mas vem o peso na consciência de deixar escapar essa grande oportunidade que tenho, de estar em um bom curso, moderno, numa ótima faculdade da área de Comunicação. Tudo isso de graça!!! Sim, pois sou um dos agraciados pelo Prouni.

Eis aí o dilema, se eu sair agora, nunca mais vou conseguir de novo, a não ser numa faculdade pública (básico, não?), ou pagando do próprio bolso.
Mas está realmente complicado, estou muito atrasado no curso, deixei de fazer muitas coisas, e a falta de interesse só está agravando.


Todo dia penso nisso, e vejo que só eu mesmo vou conseguir responder isso. É hora de escolher as prioridades e pensar mais no futuro...




sim, eu sou muito idiota e o meu "problema" nao e nada de mais, sequer é um problema...