22 de fev de 2010

Desejo

Como muitas vezes antes estavam ali, os dois curtindo o som que tocava.
Um pouco cansados, procuraram um canto pra descansar mais um pouco antes de voltar para a pista.

Estavam ali, num canto um pouco escuro, perto do bar. Olhavam e falavam como sempre olharam e falaram até aquele momento.

Resultado do cansaço, um se debruçou um pouco sobre o outro. Não houve resistência. Aproximaram-se bem devagar, cada vez mais. Da forma mais natural possível, aos poucos os toques surgiram.

Era como se duas realidades acontecessem ao mesmo tempo. Os dois ali, juntos, ao mesmo tempo em que algo começava, ainda tratavam um ao outro com grande amizade. Comentavam as músicas que tocavam, as cenas que aconteciam ao redor. Agora com os rostos bem próximos, as bocas naturalmente se procuravam, com medo e desejo.

O toque dos lábios foi aumentando, aos poucos. Logo se tornava um beijo forte, carregado de desejo, um querendo sentir todo o gosto do outro, descobriam-se ali, conhecidos de tanto tempo. Ambos desejavam um ao outro, mas só agora surgia a coragem, carregada de muito medo e receio.

E a noite seguiu tão natural, como se assim sempre tivesse sido.
E a noite virou dia, e assim o dia seguiu.

Não queriam mais desgrudar, queriam aproveitar cada minuto possível dessa realidade que parecia tão impossível.

Foram para a casa de um deles, ainda era cedo, ninguém estava acordado. No quarto dele, passaram horas, entre conversas, beijos, carícias. Dormiram juntos, acordaram, Fizeram de tudo, dentro dos limites que a situação permitia.

Já era noite do outro dia. Foram juntos até o ponto de ônibus onde se despediram, morrendo de vontade de continuar tudo isso o mais breve possível.

15 de fev de 2010

Carnaval

Tem sido uma semana bem intensa. Eu não escreveria nada aqui, mas de repente me deu vontade.

Desde terça-feira estou sozinho em casa. Todos viajaram, eu não pude pois trabalharia.
Foi uma maravilha ficar sozinho, ter a casa toda.

Na maior parte do tempo fiquei fora de casa, graças a Deus, senão enlouquecia.

Uma baladinha hétero, que não foi lá essas coisas, mas com a companhia certa, não importa.
Mais de 24 horas sem dormir, mas ainda adorando tudo.


Hoje possivelmente eu teria mais "diversão" por aqui (se me entendem...) mas acabou não dando certo, então passei o dia by myself. Isso não é bom, eu começo a pensar demais sem nada pra me distrair.

As dúvidas de hoje são "O que quero da minha vida?", "O que quero para meu trabalho?"
Etc, etc.

Isso há de passar ate amanhã, se tudo der certo.
Amanhã eles voltam e volto a ter gente pra me ocupar e desviar esses pensamentos chatos.

11 de fev de 2010

E no fim... o fim.


Foi difícil, doloroso, semanas de angústia. Mas enfim aconteceu.

Meu namoro que ia mal, terminou.


Mas estranhamente, não houve briga, nem acusações, apenas a constatação dos fatos, não era mais possível continuarmos daquele maneira.


Foi um fim amigável, alguns minutos depois das lágrimas, estavam sorrisos e as conversas de besteiras. Eu disse a ele que sempre estarei aqui quando precisar


Ele foi o primeiro, e será sempre lembrado. Foi a partir do momento que o conheci que comecei a me aceitar. Talvez ele tenha feito por mim muito mais que eu jamais conseguirei fazer por ele um dia. Eu ainda o amo, e acho que esse amor é bem mais puro que muitos outros, pois ainda existe apesar de tudo, e através desse amor espero ainda poder ajudá-lo muito em tudo o que precisar.


Bem, agora aqui estou eu, solteiro, livre. Provavelmente pela primeira vez na vida.
Hora de aproveitar...


Don't stop me now...